O que a sua “fachada” diz de você?



Você se ama o suficiente? Como se vê? Nos ensinam a ser gentis, a nos vestir, nos maquiar, mas alguém nos ensina que temos que nos amar? Nos amar verdadeiramente? Os nossos corpos, cabelos, pele, jeito?

Autoestima, autoimagem, autoconsciência três conceitos intimamente relacionados.

Podemos dizer que tanto a autoconsciência quanto a autoimagem fazem parte da autoestima. O autoconceito responde à pergunta: O que você pensa de si mesmo? E a autoimagem seria a resposta à pergunta: Qual é sua opinião sobre sua aparência? Sobre sua personalidade? As duas coisas juntas moldam a autoestima.

A família é uma influência fundamental na formação dessa nossa fachada, pois é ela que transmite ou ensina os primeiros valores que serão aqueles que marcarão a personalidade e a formação da autoestima.

O que somos não é hereditário, mas aprendido e internalizado. Medo, confiança, insegurança e tudo o que fazemos em todas as áreas de nossas vidas dizem muito sobre nossa autoestima.

Uma boa autoimagem e autoestima são a chave para alcançar o sucesso ou o fracasso, mas também para sermos capazes de compreender a nós mesmos e aos outros. Enfrentar os desafios da vida, superar problemas, defender nossos direitos ou alcançar metas dependerá disso.

Como construiu sua autoimagem? E como contribui para a autoestima dos que estão próximos a você?

Positivamente,
Milena Mendonça 🌻


 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como a Psicanálise e a Psicologia Positiva contribuem para o seu Florescimento

Perdão: o que isso tem a ver com sua saúde mental?

Psicólogos online: a nova tendência da terapia.