Flor e Ser Tulipa

“Durante o dia todo, sentia os olhares fixos em mim; gostava dos que me cercavam, mas, quando me deitava à noite, experimentava um vivo alívio à ideia de viver afinal uns instantes sem testemunhas."
Memórias de uma moça bem-comportada por Simone de Beauvoir

Na solidão, existe um rio caudaloso de liberdade.

Liberdade para transitar entre um pensamento e outro, sem interrupção do fluxo.

Liberdade para assumir o verdadeiro self, isenta dos disfarces que a relação com o outro demanda.

Liberdade para experimentar um EU completamente desnudado.

Com Carinho,
Mariana Brayner, uma tulipa em florescimento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Perdão: o que isso tem a ver com sua saúde mental?

Como a Psicanálise e a Psicologia Positiva contribuem para o seu Florescimento

Psicólogos online: a nova tendência da terapia.