Seu filho adolescente escuta alguma coisa do que você diz?

A comunicação entre pais e filhos adolescente é, sabidamente, complicada. Hormônios, por um lado, e bagagem geracional, por outro, às vezes criam barreiras à comunicação nessa fase do desenvolvimento dos filhos. Algumas reflexões, entretanto, são muito pertinentes ao processo: Você e seu filho adolescente realmente escutam um ao outro? Será que seu filho falaria mais com você se ele se sentisse escutado, compreendido e levado a sério?
Quando os pais de adolescentes leem a palavra “comunicação”, geralmente a primeira coisa em que
pensam é em “falar”. Entretanto, “ouvir” é o principal ingrediente da comunicação e, quase sempre, é a habilidade parental menos desenvolvida. Quando os pais perguntam: “Por que meu filho não me
escuta”? na verdade deveriam se perguntar: “Eu sirvo de modelo para o meu filho de como escutar”?
Em outras palavras: você o escuta primeiro?

Para melhorar a comunicação com filhos adolescentes é muito importante identificar as barreiras à
escuta. Algumas das mais frequentes:
(1) Tentar falar aos adolescentes de seus sentimentos ou percepções para que eles tenham os
sentimentos e percepções “certos”.
(2) Dar explicações defensivas sobre o seu ponto de vista.
(3) Interromper para ensinar lições de moral e valores.
(4) Levar o que os adolescentes dizem para o lado pessoal e deixar que suas próprias questões não
resolvidas atrapalhem.
(5) Usar o que seus adolescentes dizem contra eles mesmos para punir, criticar, insultar e dar
sermões.

Ao identificar as principais barreiras à escuta, os pais poderão então desenvolver habilidades para ajudá-los na comunicação com seus filhos adolescentes:
(1) Perceba que o sentimento por trás do que você faz é mais importante do que o que você
realmente faz. Ficar em silêncio enquanto você está lendo o jornal ou pensando em outra coisa
não conta. A escuta ativa exige uma linguagem corporal aberta para demonstrar seu interesse.
(2) Respeite as diferentes realidades. Esteja aberto para o fato de que há mais de uma maneira de
ver as coisas.
(3) Mostre empatia. Diga: “Eu entendo porque você se sente assim ou vê as coisas dessa maneira”.
(4) Seja curioso. Faça perguntas que irão trazer mais informações do seu adolescente. Por
exemplo: “Como você se sentiu? O que nessa situação era importante para você?”
Frequentemente, os pais reagem à primeira informação que é compartilhada pelos filhos. Na verdade, é preciso evitar a tentação de reagir à informação superficial e, em vez disso, continuar a fazer perguntas de maneira ponderada e respeitosa: “Há mais alguma coisa que o incomodou? Há mais alguma coisa que queira dizer sobre isso?”
Praticar e aperfeiçoar essas habilidades vão garantir que seus filhos escutem o que você tem a dizer,
porque demonstra que você aprendeu a escutar o que eles dizem. Examine as barreiras da comunicação e encontre as que você mais usa. Treine detectá-las e pare de usá-las. Praticar habilidades de comunicação saudáveis irá melhorar consideravelmente o seu relacionamento com seus filhos adolescentes.

Com positividade,
Isadora Lacerda.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Perdão: o que isso tem a ver com sua saúde mental?

Como a Psicanálise e a Psicologia Positiva contribuem para o seu Florescimento

Psicólogos online: a nova tendência da terapia.