31 de julho de 2018

O que é Nutrição Comportamental

Por, Maria Irlan - nutricionista
Nutrir o corpo com saúde e vitalidade vai muito além de simplesmente contar calorias. A nutrição comportamental estuda como os seres humanos se relacionam com a alimentação, levando em consideração tanto o consumo de alimentos quanto o comportamento relacionado a ele. Trata-se de uma nutrição baseada no comportamento.

A Nutrição Comportamental propõe a mudança de comportamentos sem perder os significados da alimentação e a capacidade crítica. Ela defende que o foco não seja apenas o peso eliminado pela pessoa, mas sim o bem-estar emocional e a melhora na qualidade da saúde, independentemente, de quantos quilos tenham sido perdidos. Respeitar a fome física e a saciedade, a vontade de comer e obter também prazer por meio da alimentação.
Como resultado desse processo alcançamos uma mudança de mentalidade e hábitos alimentares com mais leveza e adesão, no qual os resultados se fixam de forma mais duradora e natural. Tornando o ato de comer saudável uma experiência prazerosa e contínua.
Para atingir estes objetivos a Nutrição Comportamental defende uma orientação nutricional fundamentada em estratégias de aconselhamento nutricional, técnicas de terapia cognitivo-comportamental, técnicas do comer intuitivo e do comer com atenção plena que possibilitam a mudança real e consistente do comportamento alimentar.
Com uma prática ligada ao comer com atenção plena te desafio a aproveitar o momento da sua alimentação!
Use os cinco sentidos para perceber as cores, aromas e texturas dos alimentos. Ouça os sons ao seu redor e observe o momento de forma contemplativa, mastigando devagar. Entre uma garfada e outra: respire!
Dessa forma, você terá mais consciência sobre os sinais de fome e saciedade. Quando nos alimentamos de forma consciente em nossa rotina melhoramos nossa saúde, facilitando o processo de digestão, auxiliando na saciedade e por consequência fazendo as pazes com a balança.
Ressaltando que comer com atenção, mastigando bem os alimentos, torna a refeição também uma fonte de prazer, pois o sabor dos alimentos é melhor percebido. Quando você aprecia cada porção da comida, você se sente mais satisfeito depois de comer.
Abraço, Maria Irlan.

23 de julho de 2018

Praticando a atenção plena (Mindfulness) na nossa vida cotidiana

Por Milena Mendonça - psicóloga

O objetivo fundamental da Atenção Plena é o de nos fornecer um método para aprender a gerenciar emoções, reações, atitudes e pensamentos, a fim de enfrentar as situações que a vida nos apresenta, através da prática e aperfeiçoamento de uma consciência plena. Assim, podemos ser capazes de descobrir que, através do desenvolvimento da atenção plena, no momento presente, desenvolvemos certas atitudes positivas em relação as nossas emoções.








As técnicas de Atenção Plena ou Mindfulness foram consolidadas como um método eficaz para o gerenciamento do estresse, do sofrimento e geram bem-estar físico e psicológico. A atenção plena se apoia em três pilares: respiração, relaxamento corporal, tomada de consciência de nosso estado aqui e agora sem julgamentos com uma atitude de aceitação e ressignificação de nossos pensamentos.

Práticas de atenção plena são eficazes e simples, mas não são fáceis, principalmente nesse nosso atual estilo de vida moderno. Viver com consciência plena, conscientemente em todo momento, requer conexão com o aqui e agora daquilo que somos e o que fazemos, e nos conectamos com nossos pensamentos, mas viver o momento presente é o momento mesmo, uma musica que escuta no carro, a brincadeira com seu filho, o filme que você está assistindo, e não devaneando com pensamentos sobre seu atual problema ou projeto ao qual está se dedicando. Excesso de atenção ao passado causa angústia, excesso de atenção ao futuro ansiedade, e excesso de atenção ao presente causa estresse. Portanto, a atenção plena nos aproxima da meditação, na verdade, é em si um método de meditação baseado na antiga tradição budista. Mas é acima de tudo uma aptidão da mente, uma capacidade e, portanto, uma forma de treinamento mental. Podemos exercer uma atitude Mindfulnes através da prática formal, bem como da prática informal, aproveitando muitos momentos da nossa vida diária. É exatamente isso que vou propor a você a praticar nesse artigo.

Coma com atenção: escolha uma comida, até mesmo uma refeição. Encontre um lugar tranquilo e decida comer a comida como se fosse a primeira vez que você a experimentasse (exatamente como um bebê faz). Cheire, olhe com cuidado, fique atento as suas cores, texturas e nuances. Coma devagar, sentindo na boca, no palato. Mastigue lentamente, prestando atenção consciente e completa ao ato de comer.

Momentos atentos de espera: aproveite os momentos do dia em que inevitavelmente você tenha que esperar: num semáforo; esperando pelo ônibus; antes de sair do carro quando você estacionar ou antes de começar a dirigir; antes de entrar em uma reunião ou na sala de espera para uma consulta; no elevador; antes de iniciar qualquer atividade. Todos esses momentos oferecem a possibilidade de fazer várias respirações profundas, concentrando-se no caminho do ar através de seus pulmões, isolando-se por alguns momentos do que acontece ao seu redor.

Atividades diárias atenciosas: escolha atividades diárias e repetitivas da sua vida diária, como tomar banho, secar o cabelo, fazer a barba, usar cremes, se vestir, etc. Pense em todas as vezes que, enquanto esteve fazendo essas atividades, você estava antecipando o que poderia acontecer ao longo do dia ou mentalmente revisando o que vai dizer ou fazendo, ou lembrando-se da última conversa que teve sobre esse ou aquele tópico ao invés de curtir cada detalhe dessa atividade rotineira. Agora decida pensar apenas no que você está fazendo. Respire fundo e preste muita atenção ao que você faz. Ponha atenção também naqueles momentos em que surgem os pensamentos que evocam o que aconteceu ontem ou o que acontecerá a seguir. Não os siga, continue com toda a sua atenção sobre o que você está fazendo, curtindo você.

Olhar atento: Escolha a paisagem que você vê da sua janela ou foque em uma árvore, uma planta ou uma flor. Ou talvez uma foto ou imagem do seu local de trabalho ou de onde você está. Quanto mais próximo estiver de você, mais detalhes você irá perceber. Provavelmente não é a primeira vez que você vê essa imagem, mas hoje você decidiu olhar para ele. Olhar e ver são coisas bem diferentes, então te proponho que a partir de hoje, você passe a olhar as coisas, olhe para as suas formas, cores, veja-se descobrindo detalhes que até agora passaram despercebidos.

Ouvir atentamente: Talvez você trabalhe ouvindo música no seu celular ou notebook. Pare por um momento, decida ouvir uma música ou melodia com atenção. Respire profundamente algumas vezes e concentre-se nos sons, no tom, nos instrumentos, nos acordes, nas letras. Se a música fizer surgir um pensamento ou uma lembrança, deixe esse pensamento passar e continue ouvindo a música até que ela termine.

Caminhada atenta: É provável que você costume caminhar para ir a algum local que você vá com frequência, ou como atividade física. Por um momento, decida dar um passeio atento, mesmo que seja breve. Faça isso sozinho, em um momento em que ninguém possa interrompê-lo. Não pense sobre o assunto que está o tempo todo em sua cabeça, não decida tomar o passeio com algum objetivo específico, pegar algo, ir a algum lugar, esclarecer alguma ideia, se distrair. Simplesmente decida andar por aí concentrando-se em sua respiração, observe as coisas que existem e acontecem ao seu redor sem se envolver, sem que sua imagem evoque pensamentos. Se isso acontecer, deixe-os fluir e continue a se concentrar no que está ao seu redor.

Atividade física com atenta: se concentre no exercício, na sua respiração, nos músculos que você está exercitando, não converse durante a atividade, se conecte com o seu corpo. Respire profundamente várias vezes antes de começar. Pense apenas em exercitar o seu corpo. Vá mentalmente para o exercício dizendo-lhe o que você tem que fazer: "Agora deslizo os braços para a frente". "Aqui repito 3 vezes essa posição”. “O lado esquerdo é o primero". Assim que você perceber que está ficando mecânico e seus pensamentos voam, procure uma nova atividade física e se desafie.

Faça psicoterapia: na psicoterapia você se conecta com você, desenvolve autoconhecimento e desenvolve a atenção seletiva, focada e também a plena. A Psicologia não estuda apenas a fraqueza e o dano, mas também as forças e virtude humanas.  desde a liberdade, autoconhecimento e aceitação de si mesmo. Cuidar da saúde mental não significa apenas consertar o que está com defeito, mas também cultivar o que temos de melhor.


Com carinho, Milena Mendonça.



17 de julho de 2018

Como se alimentar bem nas férias


Férias não precisam ser sinônimo de bagunça na alimentação, para provar isso separei algumas dicas para vocês. Uma boa programação das suas refeições com escolha natural e saudável, evitando exagero e associando a prática de atividade física são pilares importantes para férias equilibradas.



Programe-se, deixe pequenos lanches prontos como frutas lavadas e secas, sanduiches naturais, bolacha integral e castanhas pra você levar para onde for durante o dia. Lembre-se também de levar uma garrafa de água pois hidratação é fundamental.
Na hora de comer fora dê preferência por restaurantes de comida caseira que invistam em ingredientes naturais ou self-service. Conhecer um lugar novo inclui experimentar sua gastronomia, essa é uma ótima oportunidade de colocar em prática algumas das ideias do movimento Slow Food: apreciar a culinária local que privilegia pequenos produtores, além de sentar-se à mesa e degustar o prato sem pressa. Lembre-se de dar uma olhada nas opções disponíveis e opte por alimentos sem fritura e excesso de sal, invista sempre nos vegetais e alimentos integrais, na sobremesa temos opções mais saudáveis como frutas, picolés ou sorvetes naturais sem adição de açúcar.

 
Feijoada Vegana de shitake e tofu defumado, farofa de maracujá, couve , laranja e brotos

Nhoque de bata doce com soja, batata rústica, macarrão integral ao molho branco vegano, bolinhos de couve flor e hambúrguer de grão de bico

Aproveite esse clima de relaxamento de férias e mande o estresse embora. Associe a alimentação saudável com a prática de alguma atividade física, pode ser uma simples caminhada, natação ou pedalada; além de movimentar o corpo ajuda a queimar calorias consumidas a mais nas férias.

Sorvete de Banana e Morango 

Frutas, mix de castanha e sementes , bolacha integral orgânica, biscoito de arroz integral, requeijão de macaxeira. 

Requeijão de Macaxeira 



Lembre-se que exageros podem acontecer em uma ou outra refeição, especialmente se for conhecer um restaurante que serve uma deliciosa comida típica, não precisa se privar desses prazeres, o que vale é o equilíbrio! Por outro lado, o período de férias pode ser o pontapé inicial que faltava para que você inicie sua mudança nos hábitos alimentares, pois nesse período temos mais tempo livre e menos estresse no dia a dia, tornando mais fácil a adaptação às mudanças na alimentação. Tenha férias saudáveis, divirta-se!

Abraço, Maria Irlan - Nutricionista

13 de julho de 2018

Atividades Lúdicas para as Férias

Por, Vanessa Barros - psicopedagogoa


Durante o ano, as famílias encontram uma rotina cronometrada para fazer com que a rotina de todos se encaixem: trabalho, escola, esporte e atividades extracurriculares entram na dança. Com a chegada das férias escolares, muitos pais enfrentam dificuldades de conseguir gerenciar o tempo das crianças, seja por causa do trabalho ou por conta da quantidade de dias livres, em que mesmo em viagens, as crianças tendem a ficar entediadas.



Confira abaixo uma lista de sugestões de atividades LÚDICAS, o intuito é educar e ensinar se divertindo, e ainda garantem férias inesquecíveis:
1. Faça pipas
Diversão barata e certeira, a pipa ou papagaio pode render um dia repleto. Confira em algum site as instruções de como fazer uma pipa. Na hora de empinar, só não esqueça de ir para um descampado longe de fios de eletricidade. 
2. Aprenda origami 
Para dias chuvosos, que tal aprender a fazer origamis?  Procure com seus filhos um tutorial de como fazer a dobradura de um gato ou cachorro por exemplo.

3. Brinque de jardinagem e plantação

Crianças que vivem em cidades grandes dificilmente têm oportunidade de ter contato com a natureza. Que tal aproveitar o período sem aula para isso? Pode ser uma plantinha pequena, pode ser uma árvore, pode ser até um feijão no algodão. 

4. Faça bolhas de sabão 

As férias pedem atividades ao ar livre. Bolhas de sabão são uma ótima opção. Com um arame moldado, é possível fazer bolhas gigantes!

5. Aprenda arte com papel

Basta um jornal velho, bexigas, cola branca e um pincel para criar vários objetos usando a técnica da papietagem. Encha a bexiga e cubra com várias camadas de papel picado coberto pela cola. Depois de seco, pode virar um vaso, uma luminária ou o que a imaginação inventar.

6. Crie seu próprio brinquedo 

Vale usar material reciclado, tecidos, espigas de milho e o que mais a imaginação permitir. Não esqueça de pedir ajuda aos mais velhos. Muitos avós tinham o costume de fazer seus brinquedos. 
7. Monte peças teatrais 
Que tal montar uma releitura de uma peça que vocês assistiram juntos? Ou quem sabe criar uma história nova? Ou ainda sortear papeis em um envelope cheio de personagens (bruxa, encanador, velha, empresário, criança, fada...) e deixar a peça rolar solta? Não se esqueçam de bolar figurinos e cenários. Uma apresentação para a família também pode ser uma grande estreia bem legal.
8. Separe um tempo para leitura e contação de histórias
Será interessante que os pais apresentem opções de leitura com diversos livros apropriados à faixa etária de cada criança. Deixe-os escolherem os livros e mãos à obra.
9. Dê banho nos brinquedos
Além de deixar os brinquedos e/ou bichinhos de pelúcia mais limpos, a brincadeira ajuda a criar um senso de responsabilidade pelos objetos.

10. Brinque de praia

Não é por que você não foi ao litoral que não pode fingir que foi. Vale fazer todo mundo colocar roupa de banho, fazer brincadeiras características, fazer castelinhos de areia (ou terra) e, com sorte, até quem sabe um banho de mangueira.
* O MAIS IMPORTANTE É SOLTAR A IMAGINAÇÃO!

BOAS FÉRIAS!!!!!

9 de julho de 2018

Por que é importante tirar férias?


No início de cada semestre costuma ser ofertado várias opões de cursos nas mais variadas áreas para públicos de várias idades. Embora nós psicólogos há algum tempo já alertamos sobre a importância do ócio, é preciso consideramos que se por um lado vivemos tempos competitivos e parece vantajoso preenchemos nosso tempo livre com essas atividades curriculares. Especialistas alertam, entretanto, que se dedicar horas seguidas ao estudo ou uma única atividade traz poucos benefícios. Escolher prioridades e se decidir a elas, sem exageros, é a melhor opção. E ainda tirar uma folga dessa atividade sempre que puder.


Então, nesse momento, dedique-se ao ócio, ao tempo livre. Porém um tempo livre saudável, positivo. Descubra atividades de lazer que farão com que você tenha uma boa saúde e melhore sua qualidade de vida.

Nos tempos modernos, de conexão, raramente nos dedicamos ao ócio de maneira positiva, geralmente queremos nos entreter ou ocupar a nossa cabeça. nos desconectando com nós mesmos, e nos relacionando com o celular ou aparelhos eletrônicos. Invertemos as prioridades, se conectar hoje é mais importante do que se relacionar.

Por isso as atividades de lazer são tão importantes, porque dão energia positiva à pessoa, refrescam a mente e ajudam a longo prazo a manter a saúde e a ter equilíbrio. Além disso, também foi demonstrado que praticar atividades prazeirosas tem um efeito positivo na vida de uma pessoa. O prazer motiva, aumenta a confiança e melhora a auto-estima, fundamental para se sentir bem conosco.

Atividades recreativas também servem para socializar. Elas são uma maneira de estar com os entes queridos e desfrutar, além de nos dar a oportunidade de conhecer novas pessoas, criar novas amizades e aprender coisas novas. O lazer também nos aproxima da natureza, o que relaxa o corpo e a mente. Porém o ócio deve sempre ser destinado a criar, nunca a consumir.

Então te pergunto, quando foi a última vez que você passou um tempo esvaziando sua mente, relaxando e fazendo coisas que te divertem? Talvez você estivesse no seu celular, ou ocupando sua cabeça com alguma atividade. Todos os dias você tem a sensação de ter menos tempo para desfrutar de lazer e atividades que te relaxam? Entende porque uma vida em que o lazer, com tempo livre e dedicada a pequenos prazeres equilibrada com o trabalho, atividades e responsabilidades é importante? Ainda estamos em período de férias. Se você ainda não desfrutou de qualquer atividade que o relaxe e faça você se sentir bem, ainda há tempo para isso. Não sabe por onde começar? Tente descobrir começando um processo psicoterápico, não espere as férias acabarem, comece a olhar pra você agora.

Com carinho, Milena Mendonça.